9.5.10

L'aube de la journée


Ando sozinho pelos becos escuros, procurando escombros que completam minha frágil personalidade fútil; escuto ruídos amedrontadores que me perseguem a cada segundo; observo sombras se movendo coreografadamente por cada fresta de luz ainda resistente nas ruas da longa noite sombria. Sinto-me cada vez mais perto de chegar a lugar nenhum; escuto então o chamado: Aquele estridente grito agudo penetra minha mente, pensamento por pensamento. Fim do último ato, as cortinas se fecham, segredos serão revelados: Chega o amanhecer!

Um comentário:

Paula disse...

super me identifico